Arquivo | Post sob encomenda RSS feed for this section

Um Passeio Pela Deep Web

22 maio

Depois de muito ouvir falar sobre essa tal de Deep Web, resolvi dar uma olhada por mim mesmo se o que todos falam é verdade mesmo. O que eu vi? O que a Deep Web tem de tão misterioso? Quais segredos a Deep Web guarda? Vem comigo!

ice[1] 

Essa imagem acima talvez já resume logo de cara o que é a Deep Web: um monte de sites que você não deveria ver. Mais afinal, que diabos é essa tal de Deep Web?

A resposta é talvez até um pouco simples demais: é onde os buscadores da web  (leia-se Google) não conseguem chegar. Sites criptografados, onde você só consegue ter acesso com programas específicos. Então agora você deve pensar que pouquíssimas pessoas freqüentam a Deep Web, certo? Errado: a web “de superfície”, aquela que você usa e vê todo o dia, é somente uma pequena parta da web. Os dados não são precisos. Já li que a web “normal” é apenas 3% de todo o conteúdo disponível, outros dizem que é meio a meio. Qual é a informação correta? Também não sei dizer.

O que posso dizer é que existe um bom motivo para esses sites serem criptografados e acessados apenas via proxy (mecanismos que dificultam o rastreio do seu IP). E qual é esse motivo? Simples: a Deep Web esconde o que de mais perverso o ser humano pode produzir. Pedofilia pesada, tráfico de armas, drogas, órgãos, assassinos de aluguel, seitas macabras, hackers, tudo isso são figurinhas carimbadas escondidas pelo anonimato da Deep Web.

Como tudo o que é misterioso, li várias coisas sobre a Deep Web. Uma das que me deixou pensativo foi várias pessoas dizendo que a Deep Web se subdivide em camadas (6 ou 8, achei os dois relatos) sendo que o nível de perversão e obscuridade aumenta muito entre um nível e outro. Não sei se isso é verdadeiro, mais como vi apenas alguns sites no que deve ser a primeira camada, fico imaginando que tipo de coisas existem na última.

Mais como eu faço pra entrar nessa Deep Web? É simples também: baixe o Firefox e o Tor, e boa diversão. Existem vários tutorias para quem quer se aventurar pelo submundo internético.

Ao entrar nessa tal de Deep Web, as diferenças da web superficial são logo nítidas: não existe um buscador universal, você tem que achar as páginas um pouco que na raça (embora pesquisando você facilmente ache listas com várias páginas da Deep Web), os endereços também são muito diferentes do habitual: os endereços das páginas são, em sua maioria, um código seguido de .onion (ex: asd65s56.onion , ao invés do tradicional site.com.br), ou seja: muitos e muitos sites você apenas vai encontrar se alguém lhe der o endereço. Isso é um dos motivos da exclusividade da coisa. Uma das páginas mais conhecidas da Deep Web é a famosa Hidden Wiki, uma Wikipédia com vários assuntos (e links) feito pelo pessoal que vive no submundo da web. Os assuntos são diversos, e muitas vezes chocantes: como encobrir as pistas de um assassinato, os métodos mais eficazes de tortura, onde vender pornografia infantil… enfim, coisa de doente mesmo.

O anonimato presenta na Deep Web é o que garante a grupos de pedófilos, traficantes, seitas raciais como nazistas, e coisas do tipo, falarem abertamente sobre o assunto em fóruns. Aliás, isso é o que mais existe na Deep Web: fóruns falando sobre tudo quanto é assunto. Muitos assuntos dos quais, se fossem comentados na web normal, renderiam bons anos de cadeia a todas as pessoas que ali estavam comentando.

Mais então quer dizer que só tem porcaria e gente doente na Deep Web? Claro que não! Também existem coisas boas por lá. Existem páginas de pesquisa de universidades (que estão lá pelo caráter sigiloso da Deep Web),  e algumas das coisas mais interessantes que já li sobre ufologia e criptozoologia também podem ser encontradas na Deep Web. Vi também coisas sobre defesa pessoal, um site até que engraçado destinado a contar os podres sobre famosos (com fotos inclusive). Muitos grupos subversivos também tem seu ponto de encontro garantido no anonimato do submundo, como o Anonymous. Eles geralmente combinam seus ataques via Deep Web.

Depois de um tempo dado uma perambulada pelo submundo da web, vi muita merda mesmo. Vou dizer que é o enorme conteúdo da Deep Web: muita porcaria doentia. A Deep Web com certeza não é lugar para qualquer pessoa. Muitas coisas que você pode ver por lá com certeza podem te traumatizar. Acho que o acesso deve ser feito apenas por pessoas psicologicamente preparadas para poder suportar o que se pode vir a descobrir, e o que se pode ver na Deep Web, pois ali está um mundo sem nenhum tipo de pudor ou censura, onde qualquer pessoa pode falar, postar ou ver o que bem entender. Na Deep Web, o filtro parte de você. Enfim, vale a pena navegar por esse submundo? Sim e não. Sim pois você pode achar muita informação, como nas páginas sobre pesquisas e ufologia. Não, pois a coisa por lá é hardcore: fotos de gore e pedofilia são comuns em vários sites, mesmo você não procurando por isso. Obviamente que antes de partir para a Deep Web, previna-se com um ótimo anti-vírus e um igualmente bom firewall.

Enfim, a decisão é sua. E aí, aceita um passeio pelo mundo obscuro da Deep Web?

Anúncios

Descubra qual a sua classe social

25 ago

Existem vários métodos de identificar qual é a sua classe social. Porém um dos mais utilizados, é aquele referente ao poder econômico da pessoa ou família. Afinal, quanto mais dinheiro, (teoricamente) maior a qualidade de vida da pessoa. E aí, qual a sua classe social ?

O governo federal se gaba de alçar 30 milhões de Brasileiros para a classe Média. Mais que diabos significa isso?

Bom, basicamente, o IBGE utiliza a seguinte tabela para identificar qual a sua classe social:

consumo-20100302-classessociais_ibge Porém a tabela mais utilizada pelas empresas, é a da ABEP, que divide as classes sociais da seguinte maneira:

consumo-20100302-classessociais_abep

Considero essa da ABEP um pouco mais realista, portanto vamos nos basear nela. Agora uma rápida passada, classe a classe:

CLASSE E:

classe E

São as pessoas menos favorecidas da sociedade, aqueles que o que ganham mal conseguem se sustentar, mal conseguem comprar o que comer. Uma pessoa que ganha no máximo R$484,97 mensais, convenhamos, vai ter uma vida bem sofrida. Terá que economizar ao máximo, e dificilmente acumulará muitos bens durante a sua vida. Infelizmente, boa parte da população brasileira vive essa realidade.

CLASSE D:

classe D

Uma pessoa da classe D, ou média baixa, que ganha até R$726,26 mensais, já consegue levar uma vida mais sossegada. Sabe que o que ganha não é muito, mais já consegue se virar. Essa é uma das classes que mais consome no Brasil. No popular, seria mais ou menos aquela sua vizinha que você sabe que não tem dinheiro, mais ela faz questão de andar toda arrumadona pra quem não a conhecer pensar que é rica.

CLASSE C:

classe C

É a classe que mais cresce no Brasil. Sendo C1 ou C2, se você pertence a essa classe (ganha até cerca de R$2000 mensais) você é a tão falada classe média. Pode não ter dinheiro pra esbanjar, mais se dá ao luxo de ter alguns equipamentos bons, frequenta bares e restaurantes um pouco melhores, e já acumula alguns bens: pode financiar um carro, uma moto, ou até uma casa. Sabendo investir, você vai ter um dinheirinho sobrando. Essa também é uma das classes mais endividadas do Brasil, pois na ânsia de realizar seus desejos consumistas, acaba abusando do crédito fácil que temos hoje no Brasil. Você, caro amigo(a) que lê esse blog, provavelmente pertence a essa classe.

 

CLASSE B:

classe B

É a popular classe média-alta. Se você ganha algo próximo de R$6500 mensais, parabéns. Você já pode se dar o direito de ter uma boa casa, um bom carro, até quem sabe uma casa de férias, e viagens ao exterior. A classe B é aquele cara que você conhece e que acha ele rico, mais ele sempre fala que não é rico, é bem de vida. E realmente é isso mesmo. O cara leva uma vida confortável, mais ainda não é um sujeito rico quando você o compara com um cara realmente rico. Se você conseguir chegar até a classe B, viverá uma boa vida, com toda certeza.

CLASSE A:

classe A

Se você pertence a essa classe, me faça uma doação agora. São pessoas que sozinhas ganham na faixa de R$ 10 mil mensais, ou uma família que ganha cerca de R$ 38 mil mensais. Nessa faixa, você com certeza terá uma bela casa, um carro importado de luxo top de linha, e se dará alguns luxos como usar jóias, roupas de marcas caríssimas, viagens frequentes ao exterior e coisas do tipo. A alta sociedade já é sua amiga de longa data, e você é invejado pelos seus vizinhos. Meus parabéns, apenas 4% da população brasileira chegou no seu nível.

 

CLASSE AA:

classe AA

 

Caro amigo, se você pertencer a essa classe, pare de perder seu tempo na Internet e vá agora mesmo dar uma volta na sua Ferrari zero. E depois disso, favor me doar 1 milhão de dólares, já que não lhe fará a menor falta. Sim amigos, esses são a elite da elite, os multi milionários, os mais ricos que você possa imaginar. Se um dia você conseguir se juntar a esse 1% da população, dinheiro pra você jamais será problema. São mega-empresários, artistas de renome mundial, craques do futebol e coisas do tipo (incluem-se também alguns políticos, digamos, pouco honestos). Essa classe pode comprar tudo o que imaginar, desde uma Ferrari que acabou de ser lançada, até um mega luxuoso iate. São as poucas pessoas que podem dizer ‘dinheiro não é problema’.

 

E então nobre amigo internauta, a qual classe você pertence? Meu objetivo é chegar na classe A. O pessoal da AA, esses eu sei que é um sonho muito, muito distante. Porém, não ficaria nada infeliz ao pertencer a essa classe.

Até a próxima!

Jogadores de Futebol: Mercenários ou Meros Funcionários ?

6 abr

Toda vez que a janela de transferências européia se abre, é aquele Deus nos acuda, os europeus passam o rodo geral em tudo que é jogador acima da média, ou mesmo algum meia boca. Os jogadores, que de bobos não tem nada, não pensam duas vezes em trocar nossos reais pelos euros do velho continente. Mercenários ? Ou apenas estão fazendo o que todo mundo faria: ir trabalhar pra quem paga mais?

 

futebol-dinheiro

Futebol. Ah, o futebol. O esporte das multidões, o esporte do povo. Será mesmo? Não é de hoje que o futebol, no mundo todo, vem cada vez mais sendo o esporte das elites, e menos do povão. Não que a população das classes mais baixas deixe de torcer pelo seu time do coração, mas convenhamos: quantos torcedores hoje no Brasil tem condições de pagar R$180 em uma camisa oficial do seu time? Essa elitização do esporte, cria um círculo vicioso: o ingresso está mais caro, o material esportivo mais caro, os times arrecadam mais, gastam mais, e precisam de mais, assim elevando o valor cobrado dos patrocinadores, o valor dos ingressos, de seus produtos, e assim vai. Me lembro quando um ingresso pra ver o time da minha cidade jogar o Catarinense custava R$5. Hoje, o ingresso mínimo custa R$20, cadeiras R$30 e arquibancada coberta, apenas R$50…

E essa elitização, atingiu também quem (de fato) faz o espetáculo acontecer: os jogadores. A grande maioria dos jogadores das Copas de 50, 54, 58, 62  e afins, morreram na miséria, equecidos e abandonados. Hoje qualquer jogador de Série D ganha no mínimo uns míseros R$5 mil mensais! Salário de um gerente de empresa de médio porte! Nos times grandes da Série A, acho difícil algum jogador ganhar menos do que 30, 40 mil mensais. Os grandes medalhões,  como Ronaldinho, ganham míseros R$ 21.600.000,00 (VINTE MILHÕES E SEISCENTOS MIL REAIS) anuais! É o faturamento de uma empresa de médio para grande porte!!!

Esse dinheiro todo, que faz do futebol um mundo à parte, tem também um efeito colateral: a esmagadora maioria dos jogadores (diria eu 99,99%) não fica mais anos no mesmo clube, e nem faz questão disso. Acabou a era de “jogar por amor”. Cada vez mais, os jogadores deixam claro que são apenas funcionários dos clubes, e estão lá apenas pelo seus polpudos salários. Algum clube ofereceu mais? Rasga-se o contrato, força-se a saída do clube. Pouco importa a opinião dos torcedores, o que importa é o dinheiro. É o popular “ pagou, levou”. O caso que mais tem estado na mídia ultimamente, é o do jogador Ganso, do Santos. O Santos, que gastou muito dinheiro em sua formação, e agora que tem o jogador pronto para atuar no time principal, o assiste forçar a sua saída do clube, doido para encher a sua conta de euros. A torcida do Santos está revoltada com o jogador: o assistiu utilizar toda a estrutura do clube para se aprimorar como jogador, e agora ele quer desfilar toda a sua técnica em gramados europeus.

Aí que entra o que os torcedores chamam de MERCENÁRIO: foda-se tudo o que o clube fez por mim, eu quero é ganhar muito (mais) dinheiro! E se for em euros, melhor ainda! E nesse ponto, os torcedores tem razão: ninguém mais honra o contrato que assinou, ninguém mais tem amor ao time, ninguém mais quer envelhecer e fazer história no clube. Jogador quer dinheiro!

Mais existe também o outro lado. Sim, futebol (e o esporte em geral) é movido a paixão, é movido pelo amor dos torcedores aos seus times/clubes/equipes. E é essa mesma paixão que muitas vezes impede o torcedor de pensar racionalmente. Vamos tentar enxergar a coisa de outro modo: o jogador não ama o clube em que está jogando. Ele apenas está ali pelo salário, porque foi contratado para jogar. Vamos mudar ainda mais o foco, para você, torcedor.

Você, que trabalhar de segunda a sábado. No começo de sua vida profissional, alguma empresa lhe deu a chance de trabalhar, de aprender uma profissão. Contudo, o salário não era lá aquelas coisas, mais você aproveitou para aprender bastante. Quando de repente surgiu uma outra empresa, com uma proposta de salário muito melhor, você com certeza, não pensou duas vezes: foi correndo para sua nova oportunidade de trabalho. E se mesmo nessa nova empresa, surgisse a oportunidade de você ir trabalhar na Europa, ganhando 10 vezes mais que o seu atual salário, você iria ficar no seu atual emprego? Com absoluta certeza, você não pensaria duas vezes, e se mandaria “pras europas”, viver no primeiro mundo e ganhar um ótimo salário. O jogador de futebol, nada mais faz do que isso: aceita a proposta irrecusável que recebeu. Da mesma maneira que você faria se recebesse uma oportunidade muito melhor de emprego.

Jogadores ganham muito dinheiro? Sim. E como todo trabalhador, querem sempre mais. E como todo trabalhador, sempre vão atrás da melhor oferta de emprego. Ou você chegaria pro seu patrão e diria “ Pow chefe, recusei uma proposta de ganhar 10 vezes mais, e de trabalhar na europa,  porque eu amo essa empresa!”

Os torcedores tem que entender: quem ama o clube é você, não o jogador. Ele apenas está ali exercendo a sua função, para a qual está sendo BEM pago. Mais em se tratando de esporte, a emoção sempre vai atrapalhar a razão, e assim nascem as polêmicas. Como a do jogador “mercenário”.

O Rock No Brasil. Parte 1: O Ontem

17 fev

Obs..: Como o assunto é extenso, este post foi dividido em 2 partes: “O Ontem” e “O Hoje”. Esta é a parte 1. Este post está publicado aqui no No Sense, e também no nosso parceiro Eae, como faz?.

A parte 2 pode ser lida AQUI.

Obs.2: Primeiro texto escrito em parceria. Fuck yeah!

love90s

Em conversa informal no MSN (aliás, existe conversa formal no MSN?), falando com meu brother Pedro, parceiro e proprietário do blog  Eae, como faz?, inevitavelmente chegamos sobre um assunto que ambos gostamos e não foi mulheres gostosas: música. Mais especificamente, o amado Rock.  Especificando mais ainda, o rock no Brasil. E veio aquela pergunta fulcral: o rock morreu no Brasil ? O que aconteceu com a geração Legião Urbana, Planet Hemp, Charlie Brown Jr. (nos bons tempos), Raimundos e Mamonas Assassinas ? E até quando esses modismos vão dominar a música?

Lembro de meus tempos de menino-moço, onde jogava Super Nintendo com meus amigos, ouvindo um bom e velho Raimundos, Planet Hemp, e Mamonas Assassinas (falecidos poucos anos antes). Aquilo era o rock no Brasil, na época as bandas tops, as que mais geravam mídia, e as que mais faziam shows e arrebatavam multidões. A juventude desse tempo realmente foi privilegiada.

Um dos maiores expoentes da música brasileira em todos os tempos teve seu auge nessa época: o Legião Urbana. Com suas letras que nos faziam pensar, músicas que contavam estórias (tanto é que Faroeste Caboclo vai virar filme), enfim, música de qualidade mesmo. Tanto a música, quanto principalmente as letras. Renato Russo era um músico/poeta com talento raro no MUNDO, um dos melhores de todos os tempos. Feliz de quem pegou essa época.

O Planet Hemp, com suas músicas que falavam de violência, drogas e críticas contra o sistema também causou um enorme impacto sobre os jovens da época. Surgiu em 93, mas teve a fama em 95, com o álbum Usuário. Acho que todos que tinha entre 14~15 anos ali pelos anos 2000 já ouviram Mantenha o Respeito ao menos uma vez na vida, e grande parte sabe a letra de cor (como eu).

Charlie Brown Jr. surgiu nos idos de 92, e atingiu o sucesso com o álbum Transpiração Contínua Prolongada, que foi um marco na minha juventude. Todas as 16 músicas daquele álbum são excelentes, e boto o Charlie Brown na lista das grande bandas do Brasil. Hoje, infelizmente, estão mais voltados para o público pop, com letras menos críticas e irreverentes, falando mais agora de problemas pessoais, amor e superação. Mais esse primeiro álbum, repito, foi um MITO.

Raimundos… ah Raimundos… essa dispensa comentários. Uma das bandas mais debochadas, sarcásticas e “boca suja” que já tivemos a honra de conhecer. Inúmeros clássicos, uma atitude de ligar o foda-se e ser feliz. Banda que ouço até hoje, e uma das melhores que já existiram no Brasil.

E quem não se lembra do turbilhão Mamonas Assassinas ? Em apenas 7 meses de hiper-sucesso se eternizaram na música nacional. Suas letras irreverentes, debochadas e até mesmo nosense, fizeram grande sucesso. A animação deles era o que tinham de melhor, impossível não esboçar ao menos um leve sorriso ao ver um clip ou um vídeo deles. Suas músicas são presença certa em formaturas nos dias de hoje. E até hoje eu sei de cor todas as músicas do álbum deles.

O que essas bandas têm em comum ? Simples: (com o perdão de outras grandes bandas nacionais) foram os melhores que já surgiram em termos de rock no Brasil. E surgiram todos em uma mesma época! Feliz da geração anos 90 que pode desfrutar desse maravilhoso universo musical. Eram outros tempos, com toda certeza, mais o que me chamava a atenção olhando para trás hoje, é que a atitude que essas bandas passavam para o pessoal, era outra. Planet Hemp fazendo os jovens se engajarem em lutas políticas e pelos seus ideais, Charlie Brown com leves críticas sociais, e suas letras politicamente incorretas, Raimundos era o ápice do politicamente incorreto, ouvir um cd deles perto de seus pais era certeza de castigo (sim, experiência própria), Legião Urbana nos brindavam com suas reflexões, e vários outros assuntos e estórias que nos faziam viajar. Mamonas era rock e diversão !

Outro ponto importante, era que a indústria da música não tinha descoberto ainda o público pré-adolescente (o hoje chama público teen). As músicas eram voltadas para jovens entre 16 e 25 anos, para fazê-los pensar e se divertir. Não queriam transformar jovens em crianças, nem crianças em adultos. Tudo tinha sua razão, o seu motivo.

A crítica social fazia parte do contexto das músicas, muito era questionado (e no caso do Planet Hemp, cesurado mesmo), e fazia-se pensar. Mamonas Assassinas era a mais pura diversão, donos de um carisma ímpar, divertiam dos 8 aos 80, uma das bandas mais queridas da história. Não precisavam forçar a barra, parecer algo que não eram. E isso marcou as bandas da época também: cada um expunha seus idéias, suas experiências de vida. Renato Russo era um cara introspectivo, e suas músicas refletiam seus sentimentos. Marcelo D2 e B. Negão viviam a realidade das ruas, o universo das drogas e da opressão policial. Chorão era um cara dos mais doidos, que só queria se divertir e criticar a todo o sistema. Os Raimundos tinham uma Kombi e viviam dentro dela fazendo aquela curtição. Os Mamonas foram formados para um único propósito: a diversão.

A geração 90 cresceu ouvindo estes mitos, moldando assim suas idéias e ideais. Quem hoje tem 23, 25 anos, sabe do orgulho que dá olhar para trás, e relembrar de todas estas grandes bandas. O rock estava em alta, e surgiu uma grande banda atrás da outra. Lembro de uma vez que o festival Planeta Atlântida, que hoje tem Restart como “head singer”, trouxe para um mesmo festival Raimundos, Planet Hemp e Charlie Brown Jr., foi um sucesso estrondoso.

Sou um cara saudoso. Aliás sempre fui. E como diz um amigo meu, “devido a qualidade das novas coisas, prefiro relembrar as antigas”. Sair na tua vestindo a camisa da sua banda, era motivo de orgulho. Você não precisava se vestir igual ao Tiririca para afirmar de que banda gostava. Aliás, nem gostar de rock era obrigação. Você não precisa se vestir igual a todo mundo para pertencer a turma. Na turma que eu andava, tinha garotas que eram fãs de Backstreet Boys, uns amigos meus que gostavam de música gaúcha, eu quer era bem do rock/metal, e todos nos davam muitíssimo bem. Não tinha aquela pressão “meeeeo, bota uma roupa colorida e faz uma chapinha pra fica na moda biiii”. Atitude sim, lavagem cerebral não.

Atitude… hoje essa palavra (relacionada a música), parece que trata do jeito como nos vestimos. “Cara, atitude é tu mete uma calça verde limão, uma camisa azul piscina, chapinha no cabelo e arrasa!”. Nops, tenho outro conceito. Atitude era tu questionar o governo, não aceitar tudo de goela abaixo, atitude era questionar as leis, questionar a hipocrisia na sociedade, questionar tudo. Hoje parece que isso se perder. Não basta apenas o seu ídolo acenar para você, ou você ter o privilégio de vê-lo ao vivo. Ele tem que dizer que te ama, que não vive sem você. Já parou pra pensar o quão ridículo isso é? Você amar uma pessoa que nem conhece? Ter carinho sim, mais amor? Pára né.

Aliás, não me lembro de uma supervalorização dos sentimentos. Talvez porque a música era voltada mesmo para um público mais maduro. Pegue você mesmo aos seus 13 anos de idade. Quem nunca teve um “amor infinito” por essa idade? Coisas de pré-adolescentes… que na época eram apenas isso: pré-adolescentes. Não eram tratados como adultos isentos de responsabilidade e que tudo podem.

Enfim, vou parar de me alongar, até mesmo porque esse é mais um texto enorme. Mais fico feliz ainda de dizer, que tive o prazer de presenciar a melhor geração do rock brasileiro de todos os tempos, onde atitude não eram calças coloridas, e lutar pelos seus ideais não se resumia a xingar muito no twitter.

Guia rápido: BBB 11

8 fev

Não sou grande fã de BBB. Na verdade nunca acompanhei o programa, e pouco me importo com o que acontece na “casa mais vigiada do Brasil”. Mas desde que namoro uma viciada no programa, por osmose eu pego alguma coisa, e também pelo barulho causado na imprensa/blogosfera/twitter, é impossível você dizer que não sabe NADA sobre o programa. E se você não acompanha, ou não sabe nada do programa, ficar avulso em alguma conversa é questão de tempo. E para te tirar de situações constrangedoras como essa, eis que lhes apresento o guia-rápido do BBB 11.

logo BBB

Meu calvário começou quando “assinei o pay-per-view”, e assim minha amada namorada que mora comigo passou a assistir o programa ininterruptamente. E como o PC fica no quarto, junto da tv, e ela não se contenta apenas em assistir, mais também pede comentários/opiniões a mim que estou concentrado jogando FM11, acabei por conhecer um pouco do tal programa. E pra você, que não está assistindo ao programa, e fica totalmente avulso nas conversas em seu escritório e nas rodas de amigos, aqui vai a sua salvação, ao invés de perder o seu precioso tempo assistindo ao programa, aqui está tudo o que você precisa saber pra não ficar avulso:

Os participantes (e o que você deve saber deles):

Adriana

Adriana: como a audiência do programa estava em franca decadência, o diretor Boninho (viciado master no twitter), decidiu que era hora de dar um “choque” nos participantes: tirou 2 participantes, e colocou 2 novos. Adriana foi uma dessas que entrou de sopetão na casa. Já foi miss, mas não parece levar muito jeito pra coisa.  Namorava a muito tempo fora da casa, mas foi só ver o tal do Rodrigão lá e ficou toda apaixonadinha. Tem forte rejeição do pessoal da casa. Candidata a sair em breve, posar nua, e sumir.

 

ARIADNAAriadna: essa já saiu, mas merece uma menção mesmo assim.  Se declarou como cabeleireira no programa, porém o pessoal aqui fora ficou sabendo do seu passado: Ariadna é transex, e fazia programas como travesti na Holanda. Foi eliminada na primeira semana do programa. Era a grande expectativa do diretor Boninho para alavancar a audiência do programa. O bolão de “quem seria o primeiro a beijar o traveco” era assunto constante, com familiares dos “brothers” preocupados que isso viesse a ocorrer. Diogo (vulgo gago) foi o grande vencedor, obviamente sem saber do passado dela/dele. Voltou para a casa de vidro (uma casa com paredes de vidro que ficou em um shopping, onde todos os eliminados do programa ficaram confinados até que o público votou em um deles para voltar ao jogo), e parece que vai sair na Playboy. Trouxe à tona o debate sobre transex’s, mais como tudo passa, voltará ao anonimato.

 

CristianoCristiano: Engenheiro mecânico classe média-alta. Era pra ser um dos galãs da casa e engatar um romance tórrido pra alavancar a audiência. Não fez nem uma coisa, nem outra e será eliminado no paredão de hoje (08/02/2011). Não há muito o que falar sobre ele. Enfim, em pouco tempo será apenas mais um ex-bbb no mundo.

 

Daniel BBB11Daniel:  Tem um abrigo para idosas, e correu pra se assumir homossexual na casa. Verdadeiro ou estratégia de jogo? Os 2. Se assumindo homossexual ganhou a simpatia do público gay, e se não se assumisse, ficaria taxado de “falso”.  Ele e Lucival (que também se assumiu gay logo no início) ficam sempre no seu canto, na deles. Falam apenas com outras pessoas quando elas vão procurá-los. Costuma liberar geral nas festas, tomou um copo, já tá doidão. Dança desvairadamente e se liberta totalmente. Era pra ser o coitadinho da casa, comovendo o público com seu trabalho social. Não sei se dura tempo ou não na casa.

 

Diana-BBB11Diana:  É produtora. Também logo se assumiu homossexual no início do programa. Faz a de misteriosa, conversa com poucos na casa (na verdade apenas com sua patotinha). Protagonizou (juntamente de Michelly) o primeiro beijo gay do BBB. Já cumpriu sua missão para o qual foi escolhida para o jogo: dar o tal beijo homossexual. Gosta de uma boa intriga, e por muitas vezes faz o papel de informante para o seu grupo. É vista com grande inimizade por vários participantes. Séria concorrente a deixar a casa em breve.

 

diogo-bbb11Diogo: É dançarino/coreógrafo de axé music (sério!). Também conhecido como Gago na casa. É gago (o rly?) e hiperativo. Defende seu ponto de vista, e arruma confusão com quem discorda dele. Recentemente vem se envolvendo em uma briga atrás de outra, desde que seu amigo Maurício voltou ao jogo. Já percebeu que existe uma patota das mulheres do jogo liderada por Talula, e já se dispôs a defender os seus amigos custe o que custar. Foi escolhido para ser o palhaço trapalhão da casa, dando um toque de humor no jogo. Mas suas brincadeiras já não tem mais graça, e virou um chato dentro da casa. Ninguém mais o suporta, e isso fica nítido nas conversas entre os “jogadores”. Candidato para figurar em muitos paredões.

 

Janaina-BBB11Janaína:  Bailarina. Faz parte da patota das mulhers. Não tem muito carisma e pouco aparece para o jogo, sendo até agora peça descartável. Sairá em breve e sumirá.

 

 

 

Jaqueline-BBB11-Fotos-Vídeos-TwitterJaqueline: Dançarina. Entrou para ser a negra gostosona da casa. Já foi rainha da bateria de alguma escola de samba aí. Também se encobre no meio da patota das mulheres, e faz papel de advogada do diabo, dando conselhos para depois ver o circo pegar fogo. Com toda certeza posará nua assim que pisar fora da casa. Não tem grande relevância no jogo até aqui, só o influenciando quando pega o líder ou coisas do tipo.

 

Lucival BBB11Lucival: Jornalista. É o grande amigo de Daniel dentro do jogo.  Também se assumiu homossexual logo no início. É um dos que melhor se dá com o pessoal de modo em geral, por isso é visto como “falso” pela maioria do público. Oras, afinal quem fala com quem não gosta, é o que ? Diplomata porra! Dentro da casa é muito querido, mais cresce sua rejeição no mundo real. Sairá em breve.

 

MARIA BBB11Maria:  Atriz. Causadora da grande confusão até agora do BBB11. Era namorada de Maurício dentro do jogo, mas ele foi eliminado, e Wesley, um dos novos participantes que entraram durante a disputa, balançou a moça. Ele vivia de carinhos com o moço pra lá e pra cá, se derretou toda por ele, deu selinho em festas, e ficou no maior climão. Só não contava que Maurício retornaria, e ficou assim com fama de vadia. Já falou que tomava bombas pesadas, e por isso está faz tempos sem menstruar, e que seu clitórios aumentou de tamanho. Além disso, é nítida sua voz não ser naturalmente de mulher. Avisou a todo o pessoal da casa que vai revelar um segredo quando sair. Só não esperava que enquanto isso, na casa de vidro, Ariadna revelava a Maurício (seu ex na casa) o tal segredo: Maria também era/é garota de programa. Mesmo depois de claramente ter ficado encantada com Wesley, chora pelos cantos e para as amigas que não fez nada de mais (ah vá, tu rebolou com ele, abraçou, dormiu junto, deu beijo, fez insinuações…). É o principal foco das brigas e discussões da casa. Vai ser eliminada na primeira oportunidade.

 

mauricio-bbb11  Maurício: Músico. Foi eliminado logo no segundo paredão, mas não sem antes engatar um romance com Maria. Foi parar na tal casa de vidro, e voltou ao jogo. Retornou com informações preciosas dadas pelo público, como que Maria era garota de programa, que ela tava de namoro com Wesley, e sobre todos os conflitos na casa. Na verdade não voltou pra casa por ser queridinho do público, mas sim porque todos queriam ver o circo pegar fogo com ele, Wesley e Maria. Amigo de Diogo Gago, também está no olho do furacão dos conflitos, dando um belo gelo em Maria, e surpreendentemente ficando amigo do Wesley. Não sei seu destino no jogo, mais acredito que voltou forte tem chances no jogo.

 

Natalia BBB11Natália: Analista Criminal, mora nos EUA. É a estressada da casa e foi colocada lá pra gerar conflitos. Atingiu de leve o seu objetivo, provocando apenas discussões menores. É visto como falsa e traiçoeira dentro da casa. Mas não é tão fraca assim aqui fora. É visto como uma pessoa batalhadora, que venceu por méritos próprios. Venceu uma eleição dentro da casa (foi eleita e mais falsa e traiçoeira) e pode trocar algumas pessoas de grupo, semeando ainda mais a discórdia. Será colocada sistematicamente no paredão até ser eliminada.

 

paula-bbb11

Paula: Estudante. Popular Jabulani.Foi colocada na casa para tentar acabar com o esteriótipo mulheres gostosas/siliconadas/bombadas. Se declarou “tri-sexual” logo no início do jogo, ou seja: atira para todos os lados. MESMO. Já cantou quase todas as pessoas dentro da casa. É a falsa da casa. Diz a todos que os ama, e chora ao falar o quanto são especiais, mais não perde a oportunidade de falar mal de todos. É extramamente atirada, usa só calcinha fio dental, e não se importa mais de se cobrir perante as câmeras. Ao dar explicações de sua briga com Diogo, se contradisse toda, expondo sua falsidade. Será eliminada em breve.

 

RODRIGAOBBB11Rodrigão: Modelo. Entrou para ser o galã da casa, papel que cumpriu com maestria. Grande amigo de Cristiano, que disputa o paredão consigo. É um dos mais queridos do público. Evita de se meter em confusões, mas não deixa de falar o que pensa, porém sempre pelo lado politicamente correto. Grande candidato a faturar o prêmio.

 

TALULA-BBB11-361x300 Talula: Modelo. Possui uma irritante voz rouca de Pato Donald. É atualmente a líder do complô das mulheres, definindo em que vão votar. Não sabe que Maurício tomou conhecimento de suas artimanhas enquanto ele estava na casa de vidro. Em breve deverá ser alvo de inimizades dentro da casa. Será a protegida de suas amigas, todos evitam de votar nele, pois sabem que também serão indicados a deixar a casa. Manipula suas amigas com maestria, e nesse momento tem elas na sua mão. Como normalmente o líder dos complôs são eliminados, devem tomar esse destino.

 

wesley bbb11Wesley: Médico. Entrou para ser galã e surtiu o efeito desejado. Entrou no meio do jogo para dar um pique no programa, e deu certo. Pivô da grande contenda do BBB. Encantou Maria, namoradinha de Maurício, enquanto ele estava fora do BBB, mais não esperava o retorno do chifrudo. Foi alvo de grande quantidade de votos, porém como tinha imunidade, permaneceu na casa. Tem seus dias contados, e participação curta. Porém cumpriu o seu objetivo de dar um gás no programa.

 

O diretor e o apresentador

 

Falar do BBB sem citar o tal do Boninho e o Pedro Bial, não faz sentido. Então aí vai:

pedro-bial Pedro Bial: Apresentador. Costumava dar indiretas nos participantes, mais nesse programa apelou: praticamente implorou a Maria para ficar com Wesley, plantou a discórdia ao falar para os participantes não tratarem “inimigos como amigos”, entre outras. Tudo isso pois viram a audiência do programa naufragar. Suas artimanhas deram certos, pois os participantes o vêem como um “guru”, que dá dicas valiosas ao jogo.

 

boninho-bbb-jb Boninho: Diretor. Viciado em twitter. Dá todas as notícias do que vai acontecer com o jogo antes da Globo. Não se importa de fazer comentários sobre o jogo, possivelmente manipulando a opinião do público. BBB 11 está sendo chamado de Big Brother Boninho, pois está fazendo o que quer do jogo. Mandou 2 embora de uma vez, botou 2 novos, mandou um participante de volta pra casa, bola provas mirabolantes, enfim: cada vez mais quer ver o circo pegar fogo, tudo em nome da audiência.

 

Bom pessoal, depois dessa (não tão rápida) explanação sobre o tal do BBB11, sinta-se a vontade para fazer aquele social networking no seu trabalho, mostrando que você está pode dentro do que acontece no programa que ninguém vê, mais todo mundo comenta.

 

Até a próxima!

Post sob encomenda #1 : ARGENTINOS

20 fev

Argentinos…. ah nosso queridos hermanos,  Brasil e Argentina, países vizinhos, irmãos. Povos unidos, que se amam, que se ajudam mutuamente. Como é bom ser vizinho dos argentinos não é verdade ?

CLARO QUE NÃO PORRA!

Quem é que gosta daqueles narizudos arrogantes ? Brasileiro que não é!

Desde sempre os argentinos estão em primeiro na nossa lista “quem deve se fuder…”, mais porque caralho que eles se acham os bons ? Vamos recorrer as raízes históricas:

“Há muito, muito tempo atrás, numa galáxia muito, muito distante, a Argentina era considerada um pedacinho da Europa na América do Sul. Tinha educação de primeira, uma forte economia, seus clubes de futebol dominavam a América Latina, sua seleção tinha o Maradona, o melhor jogador do mundo (depois de Pelé). Enfim, tudo que um país podia querer, eles tinham.”

É rapaz, mais os tempos mudaram. Hoje os times de futebol deles estão mais quebrados de arroz de terceira, e os brasileiros rulean na Libertadores, e vão na Argentina buscar craques a preço de banana. A educação deles pode ser muito boa, mais que eles deviam ensinar os motoristas a como dirigir, isso é verdade. Quem vai no litoral daqui de SC no período das férias já sabe: carro com placa da Argentina, mantém distância que vai dá merda. É como se todo argentino dirigindo fosse uma mistura de velho+mulher ao volante. E com umas caipirinhas na cabeça ainda!!!

O maior “craque” deles é mais chegado na cocaína mesmo, e não consegui fazer uma carreira muito grande no futebol. Acho que não deu tempo, porque ele cheirou toda a carreira mesmo.

A economia deles vive dando calote, tá tudo quebrado. Enfim, o Brasil, que segundo eles é um país “atrasado, pobre, e cheio de macaquitos” tá botando pra fuder aí no cenário internacional, até Olimpíada e Copa do Mundo vai ter por aqui! (CHUPA ARGENTINA!).

Bom, diante deste quadro, proponho três soluções para a Argentina:

1 – O Dilúvio

Vejam que não faz falta nenhuma!

Nos tempos bíblicos já aconteceram dilúvios que dizimaram populações inteiras. Ora, quem ia sentir falta dos argentinos ? A solução está em nossas mãos: vamos “acidentalmente” abrir todas as comportas de Itaipu! Ou melhor ainda: contrata uns terroristas pra explodir tudo, que o efeito vai ser ainda melhor! Segundo a Wikipédia, “À época, quando os três países eram governados por ditaduras militares, havia o temor que o Brasil em um eventual conflito com a Argentina, abrisse completamente as comportas de Itaipu, inundando a cidade de Buenos Aires.”. Bom, vamos inundar tudo! E de quebra vamos jogar umas doenças na água pra ver se conseguimos atingir a marca histórica de mais mortos em um desastres. Daí o Galvão pode até berrar na quebra de recorde “é é é é é é é é do BRASIL!”.

2 – Muralha da Argentina

Ao redor de toda a Argentina. Uma das novas maravilhas da engenharia !

Em tempos de guerra, a China construiu um imenso muro para se manter protegida. Vamos propor aos países que também fazem divisa com a Argentina, para unir nossas forças e construir uma muralha ao redor da Argentina. Depois disso, a tática é simples: ninguém entra, ninguém sai. Como a produção de alimentos dele é insuficiente, logo logo todos vão morrer. Isso se a gente não der sorte de o muro ser tão bem, mais tão bem construído, que vai encher tudo de água lá dentro, e finalmente a Argentina vai entrar pro Guiness como “a maior piscina artificial do mundo”.

3 – Show pirotécnico

Um magnífico show pirotécnico

Tudo mundo gosta de ver aqueles foguetes de final de ano, aqueles luzes todas, o espetáculo é bonito.

Todos sabem também que ainda existem bombas nucleares por aí, só esperando uma guerra pra detona tudo.

Vamos unir o mundo em uma corrente de paz, alegria e prosperidade, e vamos derrotar a ameaça nuclear que ainda paira sobre a humanidade. Reuniremos todas as bombas nucleares do mundo, e não iremos guardá-las, pois algum doido pode roubar elas, e a ameaça nuclear voltar. Vamos detonar todas eles. E você conhece lugar melhor para se fazer isso do que a Argentina ??? Nós brasileiros vamos ver de camarote o show de luzes que vai acontecer quando todas as bombas atômicas forem detonadas na Argentina, gerando um belo clarão, que será lembrado para sempre como o “melhor show pirotécnico que a humanidade já fez”.

Pois aí está. Argentinos, nossos hermanos, vizinhos… o nosso mais sincero: vão se ferrar seus narigudos ladrões de ar!